1 Semana – Norte de Marrocos

1 Semana / 7 noites dormidas em Marrocos

Itinerário – Norte de Marrocos – poucos quilómetros

Já várias vezes manifestei a minha preferência pelo sul de Marrocos neste blogue mas a verdade é que também visitei (e ainda visito) o norte.

Faz sentido, por isso, traçar também um percurso de viagem ao norte de Marrocos durante uma semana para que conheça o país todo se já esteve no sul. Ou então porque já leu ou viu fotos do norte e quer mesmo lá ir. Não gostamos todos do mesmo, não é? 🙂

Outra das razões óbvias é que o norte de Marrocos é mais perto de Portugal, o que implica uma viagem com menos quilómetros para conduzir.

Etapas da viagem, onde dormir

É claro que primeiro vai ter que chegar usando o seu carro, jipe ou mota até Marrocos (Portugal – Tarifa – ferry até Tânger). Depois, e em resumo, estes são os sítios que deverá visitar e onde poderá descansar ao fim do dia.

  • 2 noites Chefchaouen
  • 2 noites Taza
  • 1 noite Fes
  • 1 noite Rabat
  • 1 noite Asilah

Destinos a visitar

  • Asilah
  • Fes
  • Taza
  • Parque Jbel Tazzeka
  • Grutas de Friouato
  • Chefchaouen
  • Ruínas Romanas de Volubilis

Este itinerário, hehe, já não é bem o que o turista normal faz pois não quero que tenha uma desilusão com a sua viagem. 🙂 Vou tirá-lo dos locais onde se veem coisas menos… Quer dizer, vou tentar… E sei até que vou conseguir.

Escolhi aqui destinos alternativos dentro do Norte. Vai gostar muito de Chefchaouen. A partir daí escolhi um caminho de poucos quilómetros, em direcção a Taza por estradas secundárias e menos conhecidas.

Ganha assim, pois vê algo de diferente, mais único, não alterado por turistas. E também porque as estradas secundárias em Marrocos têm sempre menos trânsito e estão em boas condições.

Percurso detalhado no norte de Marrocos

DIA 1 Tânger-Chefchaouen, via Tetouan (110km, não precisa de entrar em Tetouan)

Depois de tratar das papeladas do carro na fronteira, saia do porto e siga sempre pela esquerda na primeira rotunda. Na segunda ou terceira rotundas vire à direita (veja as placas para Rabat) e vá pela grande avenida até à grande rotunda da estação/gare de autocarros.

Agora, siga em direção a Tetouan pela estrada que está do seu lado esquerdo, junto à mesquita. Atenção às placas, é tudo um pouco confuso.

A estrada a partir de El-Fendek é bonita. Antes de chegar a Tetouan centro verá uma placa que indica Chefchaouen para a direita. Faltam agora cerca de 60 quilómetros.

Estacionamento em Chefchaouen
Chefchaouen tem um problema de estacionamento que é facilmente ultrapassado se, na avenida Hassan II, depois da rotunda da plaza Mohammed V, pagar a um guardião para lhe guardar o carro.

É um senhor já velhote, meio coxo. Pague 1 euro (10 dirhams) quando estacionar o carro e mais uns 5 dirhams quando for embora. Eu sei que é muito mas mais vale deixar o senhor contente.

Normalmente, os marroquinos dão por volta de 1 dirham, 2 dirhams aos guardiões… Mas pense que é realmente um descanso ter o carro ali durante uma noite ou duas só por 2 euros ou 1 euro e meio. Não acha?

Esta é a melhor solução se optar por um hotel em Chefchaouen que esteja dentro da medina. Se for para um hotel mais perto da Place El-Majzen, deixe o carro num parque de estacionamento em frente ao Hotel Madrid ou em frente aos hotéis Marrakech e Salam.

Estes têm normalmente lugares disponíveis (também a pagar é claro) para os seus clientes. Costumam estar cheios se for em época alta.

Hotel em Chefchaouen
Está na hora de arranjar hotel. Chefchaouen tem vários. O melhor mesmo é consultar esta página para todos os hotéis em Chefchaouen: hotéis em Chefchaouen.

O que fazer em Chefchaouen
Chefchaouen (ou Chaouen) tem muito para ver. Quer dizer, o suficiente para estar entretido por um par de dias.

A medina é ideal para comprar coisas típicas de Marrocos, muito artesanato. Também é especial para relaxar e comer bem e barato nos restaurante da praça principal Uta el-Hammam.

Existe também um castelo com museu e umas cascatas. Tudo isto com uma bonita vista das montanhas mesmo ali ao lado.

Chefchaouen é uma cidade muito bonita pois os edifícios da antiga medina dentro das muralhas são todos pintados em cal branca e azul turquesa a cair para o violeta azulado. É um local muito fotogénico e bem porreiro para se começar a ambientar a Marrocos.

DIA 2 Chefchaouen

Este segundo dia da sua viagem no norte de Marrocos está reservado para continuar a descontrair na medina de Chefchaouen. Tire lá umas fotos por mim para juntar aos milhares que já tenho. 🙂

DIA 3 Chefchaouen-Taza, via Ouazzane, Ain Aicha, Taounate e Tissa (150km)

Esta é a estrada que deve fazer para chegar a Taza. Evite a estrada de montanha por Bab-Taza e Ketama.

O que fazer em Taza
Taza tem umas muralhas a rodear a parte antiga, com algumas portas para entrar no Casbah (fortaleza). Visite a zona dentro das muralhas e os mercados onde é vendido artesanato Berbere como tapetes, esteiras, joalharia, bijuteria,etc.

Veja também as mesquitas da parte de fora. A Mesquita dos Andaluzes, ou Grande Mesquita, é um belo exemplo da arquitetura almóada. De tal forma que até inspirou a Kutubia de Marraquexe e a de Tinmel. Repare que o minarete, construído no século XII, é mais largo no topo do que na base.

DIA 4 Taza, com visita às Grutas de Friouato e Parque Natural Tazzeda

Visite as Grutas de Friouato pela manhã e, se tiver tempo, pode ir ao Parque Natural Tazzeka. Tem que gerir bem o tempo.

Se escolher fazer a grande visita e entrar mesmo dentro da gruta, precisa do dia todo. Se escolher fazer só a visita normal, sem necessidade de guia (o preço da entrada é cerca de 1 euro), tem tempo ainda depois do almoço para ir visitar o Parque Tazzeka.

DIA 5 Taza – Fes (120km)

Depois de fazer o caminho até Fes, pode almoçar já na cidade e passar lá a tarde.

De todas as cidades medievais do mundo árabe, Fes é a mais bem preservada. Entrar na medina é quase o mesmo do que entrar numa máquina do tempo e recuar centenas de anos.

Sozinho ou com um guia oficial, é extremamente interessante percorrer as ruas da medina e ver as lojas e o reboliço do dia-a-dia. Se optar por contratar um guia oficial, ele vai levá-lo aos lugares mais emblemáticos e contar-lhe histórias de antigamente e dos dias de hoje.

Hotel em Fes
Está na hora de arranjar hotel. Fes tem vários. O melhor mesmo é consultar esta página para todos os hotéis em Fes: hotéis em Fes.

DIA 6 Fes – Rabat, via Taza, Nzala des Beni-Ammar, Moulay Idriss e Ruínas Romanas de Volubilis (300km)

Ao sair de Fes, não siga em direção a Meknes. Mais ou menos 15km depois de sair de Fes, siga para Sidi Kacem/Ouazzane, vire à direita antes de Douyet (veja bem o mapa).

Em Nzala des Beni-Ammar, vire para Moulay Idriss. As Ruínas Romanas de Volubilis são por aí muito perto, mais ou menos a 10 quilómetros. Aqui vai dar para ver bem como era uma cidade romana, um império que dominou toda a zona do Mediterrâneo.

Hotel em Rabat
Está na hora de arranjar hotel. Rabat tem vários. O melhor mesmo é consultar esta página para todos os hotéis em Rabat: hotéis em Rabat.

DIA 7 Rabat – Asilah (200km)

Faça o percurso pela auto-estrada para ter depois tempo para visitar Asilah. A parte antiga desta cidade é muito bonita e tranquila.

Dê um grande passeio dentro das muralhas e aproveite a vista para o mar. Prove o peixe num restaurante. E vários tipos de tajines.

Hotel em Asilah
Está na hora de arranjar hotel. Asilah tem vários. O melhor mesmo é consultar esta página para todos os hotéis em Asilah: hotéis em Asilah.

DIA 8 Asilah – Tânger (40km)

A sua viagem no norte de Marrocos chega ao fim aqui. Depois é só apanhar o barco para Tarifa e voltar a Portugal.

Coisas a evitar nesta viagem no norte de Marrocos

Esta é apenas uma pequena lista de situações que deve evitar nesta viagem. Não se preocupe, basta agir com bom senso e não vai ter problema nenhum.

1- Montanhas do Riff para além de Chefchaouen

Esta é uma das zonas no mundo com mais produção de marijuana. O haxixe para o sul da Europa vem principalmente daqui. Há leis antigas de reis marroquinos que deram autorização a esta zona do Riff para produzirem legalmente.

Como os reis posteriores não podem negar ou cancelar leis antigas, esta zona tem agora um certo silêncio governamental, mesmo com muita pressão internacional.

2- Nunca Ketama, deve ser a capital dos traficantes

Não vá. Epá, é triste mas é verdade.

3-Nunca ir com desconhecidos para a casa da família na montanha conhecer a mãe, o tio ou a prima. Ou mesmo o cão

Eles não têm cães em casa em Marrocos… É perigoso, irresponsável e estará possivelmente metido com traficantes de droga.

Pode até nada acontecer. Mas já aconteceu, principalmente com pessoas que procuram esta zona de Marrocos para consumo de haxixe. Se é esse o seu caso, pense bem.

Se anda à procura deste tipo de coisas, Ok. Compre dentro da Medina de Chefchaouen (de preferência não a um policia à paisana), mas evite qualquer tipo de contacto com “drogas” fora daí. Pode ter azar e… será que vale a pena? Não tenho nada contra quem fuma charros. Bem, na verdade tenho um pouco… ou mesmo muito. Acho que são coisas que não fazem falta a ninguém. Mas cada um sabe de si.

4- A estrada para Taza é por Fes, não é por Bab Taza

Não se engane.

61 pensamentos sobre “1 Semana – Norte de Marrocos

  1. joao, podem e falar mais como funciona Chefchaouen, como que se faz para ter contato com haxixe? como ter contato com segurança, e tranquilidade? onde tem mais? grato.;;; sou de uma religião que usa o haxixe como fonte de relaxamento… grato;

Deixe um comentário sff

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s